Me belisque #3

1241482901

Como psicanalista, o dr. Abreu já tratara de muita gente estranha. Um paciente tentara esgoelá-lo e saíra do consultório diretamente para o manicômio. Outro contara em detalhes toda a sua vida, que o dr. Abreu não demorara em identificar como sendo a vida do Thomas Edison. Por isto o dr. Abreu não se surpreendeu quando a primeira coisa que aquela nova paciente disse foi:

– Eu posso não estar aqui.

O dr. Abreu pediu, sorrindo, para ela explicar. Ela disse:

– Eu nunca sei se estou sonhando ou não estou. É por isto que eu estou aqui.

– Então você está aqui – disse o dr. Abreu.

– Se eu não estiver sonhando. Eu posso estar na minha cama, dormindo, e sonhando que estou aqui.

– O que não a impede de falar, e me contar os seus problemas.

– Meu problema é um só. Não consigo distinguir sonho de realidade.

– Muito bem. Vamos supor que isto seja um sonho. Que eu também não esteja aqui, e sim no seu sonho. Podemos fazer a sessão assim mesmo. Com a vantagem que você não precisará pagá-la, já que é tudo um sonho.

– O senhor acha?

– Acho. Deite-se, por favor.

– Aqui, no divã?

– Por favor.

0 0 0

O dr. Abreu pediu para ela contar desde quando confundia sonho com realidade. Ela respondeu que desde criança. Ela se lembrava de algum trauma de infância que pudesse ter desencadeado a confusão? Não, não. Na verdade sua infância tinha sido um sonho. Ou então ela sonhara que tinha sido um sonho. Era difícil dizer.

– Você nunca fez um teste para saber se era sonho ou não?

– Como, teste?

– Por exemplo, tentar fazer uma coisa completamente impossível. Voar. Sair voando pela janela. Se você conseguir voar, é sonho. Se não, não é.

– Me belisque.

– Como?

– É um teste. Me belisque. Se eu sentir, não é sonho.

– Desculpe, mas eu não posso beliscá-la. Não posso tocá-la. Seria antiético.

– Só se não fosse sonho. Se fosse, não teria importância. Sonho não tem ética, não tem moral, não tem regras, não tem lógica. Num sonho nada é impossível, nada é proibido. Me belisque.

– Não posso.

– Você não quer me ajudar? Seria um beliscão terapêutico. Para acabar com as minhas dúvidas.

– Desculpe.

– Você prefere que eu tente sair voando pela janela. É isso?

– Não, eu….

– A verdade é que você não tem certeza se isto é um sonho ou não. É ou não é?

– Claro que não. Eu tenho certeza que isto é a realidade.

– Então me belisque, para provar.

– Não.

– Me belisque!

– Não posso.

– Me belisque!

Naquele momento, o dr. Abreu pensou no seu velho sonho de largar a profissão se retirar para um sítio, longe da voz humana.

Anúncios

Publicado por

Winter In My Heart

"Uma história não tem princípio nem fim, só portas de entrada"

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s